Como atuamos

Edital 2011


Na edição 2011 do edital de apoio a organizações locais, 25 profissionais de 14 organizações sem fins lucrativos da zona leste de São Paulo receberam certificados de conclusão de um curso que visou fortalecer e estruturar a gestão de suas entidades. Por meio de um edital, elas foram selecionadas para essa formação de seis meses, promovida pela Fundação Tide Setubal, em parceria com a FICAS — organização especialista em metodologias destinadas às ONGs de base comunitária.

“Os resultados foram muito positivos, porque, ao longo do curso, o grupo assimilou conceitos e conteúdos no dia a dia de seus respectivos trabalhos, passando a reconhecer a importância de um plano de gestão para fazer a diferença no território”, avalia Carolina Miranda, coordenadora da área de gestão do FICAS e uma das responsáveis pela formação do grupo da zona leste.

Para Paula Galeano, coordenadora geral da Fundação Tide Setubal, o curso criou um ambiente favorável à exposição de experiências e práticas entre os participantes. “Esperamos que a rede de trocas e as colaborações continuem daqui para frente”, discursou no encerramento.

Pontos-chave

Numa carga horária total de 142 horas, foram abordados temas como mobilização de recursos, elaboração de projetos e avaliação. Os profissionais ainda conheceram ferramentas para o desenvolvimento de um plano de gestão. Ao fim, cada instituição apresentou seu plano para uma banca formada por membros da equipe da Fundação Tide Setubal e parceiros do FICAS. A ideia era proporcionar uma avaliação externa às organizações para que aprimorassem seu trabalho. “Foi uma experiência única, porque o feedback ajuda nossa entidade a crescer e a amadurecer”, ressalta Rosemeire de Campos Rasino, coordenadora pedagógica do Projeto Esperança São Miguel.

Houve ainda uma simulação com parceiros para apresentação de projetos de captação de recursos e uma série de visitas da equipe FICAS a cada uma das ONGs, para mobilizar as equipes e estimulá-las a se integrar nas tarefas do plano. “Essas visitas e o acompanhamento tão próximo foram os diferenciais desta formação”, afirma Marlene Cortese, conselheira da Fundação Tide Setubal. “O FICAS orientou os trabalhos de acordo com as necessidades do grupo.”

Confira a seguir as avaliações dos participantes.

“Com certeza, a bagagem adquirida vai ajudar a alavancar nosso trabalho. Já notamos algumas diferenças na prática, como melhor distribuição das tarefas e abertura para opiniões externas.”
Idevanir Arcanjo, presidente da Associação de Moradores Jd. das Camélias

“O curso transformou não só os participantes, mas as instituições como um todo, pois as equipes foram envolvidas nas tarefas e nas visitas do FICAS. A formação deu um norte para alcançarmos nossos objetivos.Também estamos mais fortes para formar uma rede, agora sob uma base de conhecimentos em comum.”
José Aparecido Santana, educador da União Comunitária das Mulheres do Jd. Nair

“A valorização das pessoas e do conhecimento foram fundamentais. Como resultado para nossa organização, podemos destacar o aumento das parcerias, pautadas por uma base mais sólida, e mudanças administrativas que aprimoraram a gestão.”
Ivanildo Lima, secretário do IPEDESH (Instituto de Pesquisa em Desenvolvimento Social e Humano)

“O curso ampliou minha visão. Antes, pensava apenas em questões pedagógicas, hoje já consigo ver a organização como um todo. Além disso, compartilhei conhecimento com outras ONGs vizinhas, que nem sabia que existiam. A troca de experiências é muito enriquecedora.”
Bárbara Mara Mendonça, educadora social da Ação Beneficente Santa Luzia