Como atuamos

Edital 2012


Em sua quarta edição, o edital apoiou dez instituições , dedicadas ao atendimento socioeducativo, mobilizadas para refletir sobre suas práticas pedagógicas e formular um plano educativo. Ação Comunitária São José Operário, Associação Brasileira de Educação e Cultura (Abec) – Centro Social Marista, Associação Cultural, Educacional, Desportiva Projeto Acreditar, Associação Liga Leste das Escolas de Esportes e o Núcleo Reabilitar de Atenção Biopsicossocial (Liga Leste Reabilitar), Centro de Juventude União Cidade Líder, Grêmio Recreativo Cultural Social Bloco de Samba Vamo Q Vamo , Instituto Pombas Urbanas ,NUA – Nova União da Arte , Sociedade de Ensino Profissionalizante e de Assistência Social (Sepas),União Social Brasil Gigante foram selecionadas e dois de seus representantes participaram dos encontros, que aconteceram durante seis meses, realizados em um trabalho conjunto com a Ficas e a Casa 7.

As organizações contempladas são de pequeno porte e a maioria nasceu por iniciativa da própria comunidade, por essa razão apresentam um forte grau de compromisso com a transformação social. Entre seus maiores desafios estão a ampliação e construção de estratégias de atendimento para os jovens, o investimento no desenvolvimento profissional das equipes de trabalho (gestão e pedagógica), o aumento dos vínculos com as escolas e famílias e o estabelecimento das relações de colaboração entre si.

Diagnóstico da realidade e levantamento de objetivos e estratégias no atendimento foram temas trabalhados com o grupo. Também estiveram em foco na formação estudos sobre teóricos da educação, como Paulo Freire e Jean Piaget. A ideia era unir a reflexão com a prática, traçando caminhos possíveis dentro da realidade de cada instituição.

A sistematização ganhou destaque entre os novos aprendizados. Educadores e coordenadores envolvidos na formação trabalharam no registro escrito de suas práticas, com levantamento das aprendizagens e recomendações para outros leitores.

Registrar o passo a passo de atividades pedagógicas ajudou a colocar no papel algo antes guardado apenas na memória dos educadores. A reflexão para a redação transformou o trabalho de cada organização em um objeto de estudo. Com isso, a descoberta da autoria surgiu como uma possibilidade de ser também uma referência para avaliação de acertos, erros e a construção de novos saberes.

“Busquei o curso porque não tinha formação em Pedagogia e queríamos saber se estávamos no caminho certo. Ganhamos novos conhecimentos, aprendemos teoria e descobrimos que muita coisa que fazemos tem nome.”

Renata Pires, Centro da Juventude União Cidade Líder

“A formação em relação ao desenvolvimento do projeto deste ano me deixou mais confiante e nos favoreceu muito na sistematização e na responsabilidade de cumprir o que se programou. Aprendi a avaliar os pontos positivos e os pontos que não deram certo pela participação dos educandos e pelas atividades propostas pelo orientador. Esse processo de aprendizagem se fez por meio da sistematização da prática e pela observação realizada em sala.”

Ana Paula da Silva Passos, Ação Comunitária São José Operário

 

“O curso nos ajudou a aprofundar e a repensar o nosso trabalho. Entramos em um movimento mais aberto e entendemos a importância da autoavaliação e também de contribuir para um trabalho em rede, com parceiros locais.”

Patrícia A. Pio Silva, Associação Brasileira de Educação e Cultura (Abec)Centro Social Marista