Notícias

Jovens relatam o aprendizado no Núcleo de Comunicação Comunitária


26/04/2010


Participantes do Projeto Rede Jovem Comunica, do Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar, relatam, abaixo, suas experiências e as consequências do aprendizado em suas vidas. O NCC finalizou os ciclos formativos em abril e trabalhará, a partir de agora, com quatro jovens mediadores para produzir veículos de comunicação em São Miguel (jornal, TV etc.) e disseminar a proposta nas escolas de São Miguel Paulista. Leia mais sobre o Núcleo aqui.

“Estou no NCC desde 2008. Melhorei muito minha comunicação, tanto oral como escrita. Isso ajuda nos trabalhos da faculdade e no diálogo com professores e colegas. Sobre o Rede Jovem Comunica, foi bem legal a aproximação com as escolas. Gostei muito de aprender novos conteúdos e repassar para estudantes do ensino fundamental. Nós ajudávamos a organizar as oficinas e na escola aplicávamos o que aprendíamos.”
Raymara de Souza, 17 anos, estudante de ciências da computação.

“Cheguei ao Núcleo no fim de agosto de 2009. A produção foi bastante intensa. Foi uma grande experiência que acrescentou muito em minha vida. Decidi cursar publicidade porque vi aqui pessoas da área de comunicação que amam o que fazem. Antes, eu estava com medo de optar por esse curso e aqui percebi que não podia desistir do meu sonho. Além das histórias que vamos levar, deixaremos muitas iniciativas (jornal, TV de Rua) e as mudanças que promovemos nas escolas e na vida de cada um”.
Katia Ramalho Gomes, 17 anos, estudante de publicidade e propaganda.

“Quando entrei aqui em 2008, tinha idéia de cursar medicina. Agora, faço jornalismo porque me identifiquei demais com o que aprendemos aqui. Uma das maiores lições foi a de que devemos enfrentar os problemas e encontrar a solução. Juntos, conseguimos muitas vitórias para os moradores. Outra coisa boa é que temos o reconhecimento da comunidade local e da região de São Miguel. No primeiro dia de aula na faculdade, minha professora comentou de um grupo de jovens que trabalhavam com comunicação para melhorar o Jd. Lapenna. Isso é bem motivador.”
Mariana Rocha, 17 anos, estudante de jornalismo.

“Faço parte do NCC desde 2007. No início, quando distribuíamos o jornal, ninguém ligava. Muitos achavam que por ser um grupo de jovens não sairia nada, mas nós nos ajudamos, nos apoiamos, trabalhamos com as diferenças e produzimos bastante. Hoje isso mudou: os moradores vêm nos procurar e querem saber quando sai o jornal. Eles também fazem conosco, por exemplo, a TV de Rua, que virou uma referência aqui no bairro. É muito bom. Sinto bastante mudança na comunidade. Agora dá orgulho dizer que moro no Jd. Lapenna. É bacana também porque vivenciamos a teoria na prática”.
Elizângela Sousa Jesus, 20 anos, estudante de sistemas para internet.

“Participo desde 2008. Aprendi a colocar a minha opinião e a me comunicar melhor. Gostei bastante de tudo, mas me identifiquei muito com a linguagem audiovisual, principalmente de edição. Estou pensando em cursar rádio e TV. Percebi também como essas produções foram importantes para a comunidade. Os moradores se reconheciam nas páginas do jornal e participaram das intervenções de TV de Rua. E as escolas abriram as portas para as nossas oficinas. Aos poucos, fomos envolvendo todos nesse processo”.
Franciellen de Souza, 19 anos, prepara-se para cursar rádio e TV.