Notícias

CDC Tide Setubal, escolas municipais e balneário serão integrados em novo CEU


INFLUêNCIA EM POLíTICAS PúBLICAS 03/07/2013

 

Em visita a São Miguel Paulista, em 29 de junho, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, anunciou a criação de um Centro Educacional Unificado (CEU), integrando o CDC Tide Setubal, a EMEF Alm. Pedro de Frontin, a EMEI Profa. Helena de Paula Marin e o Mini Balneário Alm. Pedro de Frontin, localizados no Jd. São Vicente.

Diversas atividades marcaram o evento, realizado das 10h às 13h, na recém batizada Rua da Integração (rua Nabor de Morais), via que deverá ser fechada e ligar todos esses espaços com propósitos educativos. As obras preveem a derrubada de muros e a reforma de parte dos prédios, além disso, um teatro também deve ser construído no local.

Ao saber dessa intenção da prefeitura de aumentar as ofertas para crianças e jovens, com foco na educação integral, a presidente do Conselho da Fundação Tide Setubal, Maria Alice Setubal, sugeriu uma parceria ao secretário municipal de Educação, Cesar Callegari. “Esse modelo já está presente em diversas redes e precisa ganhar mais impulso, pois possibilita o encontro no território, articulando e fortalecendo as instituições e as ações locais”, afirma Maria Alice. “Existem muitas ações esportivas e culturais acontecendo na periferia que podem e devem contribuir para a o desenvolvimento da educação", conclui.

Para Paula Galeano, superintendente da Fundação, a proposta vai ao encontro do objetivo da instituição, que sempre buscou unir educação com cultura e esporte. “Esse complexo permite ao aluno circular pelos vários espaços educativos — como a biblioteca, o clube, as quadras — e não ficar confinada num só local. Ele amplia o acesso à cidade. E, quanto mais trouxermos interessados em compor esse trabalho, melhor será”, explica.

Marlene Cortese, conselheira da Fundação Tide Setubal, lembra que o CDC já dispõe de sala de informática, ponto de leitura e práticas esportivas organizadas. “A integração com as escolas amplia a possibilidade das crianças incluírem, de fato, novas atividades em seu dia-a-dia, complementando o aprendizado fora da sala de aula,” observa. A conselheira destaca ainda a importância de agregar um teatro, por poder atrair também um público de adultos e idosos além do habitual. “Essa iniciativa faz diferença para quem mora afastado dos bairros centrais, pois poderá usufruir de mais equipamentos culturais e esportivos próximos de casa.”

Pacto para transformação

No palco, o prefeito Fernando Haddad disse que as obras terão início logo após a aprovação da proposta da Rua da Integração pela Câmara Municipal. “Agradeço muito à comunidade da região, sobretudo aos professores, que estão nos ajudando a construir essa política educacional. Temos de fazer um grande pacto entre prefeitura, dirigentes, servidores e famílias para transformar radicalmente a educação da nossa cidade.”

Cesar Callegari, afirmou que Haddad está envolvendo toda a equipe da prefeitura na realização nesse trabalho de união de equipamentos, desejos e vozes das comunidades. “Aqui, estamos dando um exemplo de como é possível integrar vontades em torno de um sonho maior de fazer de São Paulo uma cidade educadora. Logo mais, teremos um equipamento em que a cultura, o esporte e a educação integrarão esse bairro tão importante da capital.”

Liliane Sales dos Santos, diretora da EMEF Alm. Pedro de Frontin, espera que a concretização dessa ideia ajude a suprir os anseios dos alunos. “Hoje eles querem vôlei, natação, capoeira, cursos profissionalizantes e só não fazem porque ainda não têm acesso. E sabemos que educação não é só dentro da sala de aula; é também participação e cultura”. Num gesto simbólico, a convite do prefeito e ao lado dele, a diretora deu uma marretada no muro que separa as duas escolas municipais, iniciando a união.

Marina Aparecida dos Santos Marques, diretora da EMEI Profa. Helena de Paula Marin, relata que está apostando em um novo estilo de lugar de aprendizado, com contato, integração e aproximação dos equipamentos. “Esse foi um momento de partida para as melhorias. Gostei muito da presença do prefeito e da participação ativa do CDC. Espero que as coisas não sejam morosas e aconteçam mesmo”, falou.

Sonhos contados em desenhos

Apresentada pelos jovens do Intermídia Cidadã, iniciativa da Fundação Tide Setubal, a programação do palco da Rua da Integração incluiu fanfarras, dança do ventre, dança de Emílias do Sítio do Pica Pau Amarelo, coral e ginástica rítmica, todas protagonizadas por integrantes da EMEI, da EMEF e de diferentes CEUs da zona leste. Dezenas de pessoas prestigiaram as atividades. Doces e salgados foram vendidos em barracas a preços populares, e cartazes e painéis coloridos estamparam frases ou desenhos dos alunos, que ali expressaram seus sonhos para o novo espaço.

Estiveram presentes outros integrantes do governo: Celso Jatene, secretário de Esporte, Lazer e Recreação; Fernando de Mello Franco, secretário de Desenvolvimento Urbano; Juca Ferreira, secretário de Cultura; Nunzio Briguglio Filho, secretário de Comunicação; Alessandro Guedes, vereador; Manoel Romão de Souza, diretor regional de Educação de São Miguel; Walter Costa, diretor da regional de Ensino de Itaquera; Adriana Neves da Silva Morales, subprefeita do Itaim Paulista; e Aldo Sodré, subprefeito de São Miguel Paulista. No palco, Sodré listou as próximas melhorias no bairro, em calçadões, praças, canteiros, iluminação e construção de novas creches.

Falas de quem esteve no evento do novo CEU

“É joia saber que vamos ter isso aqui. É mais um lugar de lazer pra gente. E tem que ter”. - Maria de Lurdes Silva, 63 anos, dona de casa, de Vila Itaim, aluna de ginástica e hidroginástica do CEU Três Pontes, presente no encontro com outras 20 alunas

“Bom ver o prefeito falar. Não sabia que ele vinha. Foi surpresa. É uma boa ideia unificar, ter tudo junto, com mais coisas para a população”. - Maria Guedes, 60 anos, dona de casa, do Jd. Romano, aluna de ginástica e hidroginástica do CEU Três Pontes, presente no encontro com outras 20 alunas

“Aqui vai ‘acontecer’ um CEU e ter muita coisa. Vão juntar esportes e aulas de tudo. Acho que vai melhorar. Eu gosto das aulas, principalmente de português, e vou ter muitas mais”. - Juliana Pereira de Souza, 7 anos, aluna do 2º ano B, da EMEF Alm. Pedro de Frontin, que tocou na linha de frente da fanfarra da escola, em sua segunda apresentação em público

“Gostei de dançar de Emília. E achei legal porque vão transformar tudo aqui”. – Bruna Franco, 7 anos, aluna do 2º ano C, da EMEF Alm. Pedro de Frontin, que se apresentou caracterizada como a personagem de Monteiro Lobato, pelo projeto de dança e de literatura da escola

“No desenho, por mais que o adulto tente influenciar, a criança mostra o que realmente quer. Dá pra ver nesses que as crianças desejam atividades fora da sala de aula, como piscina e teatro. Não querem mais aquela coisa ‘enfileirada’, e sim atividades lúdicas”. - Ana Paula dos Santos, 35 anos, que já atuou em educação infantil e foi abordada próximo à exposição “A escola com que eu sonho”, na qual os alunos desenhavam para mostrar como essa escola seria

“Adorei a união das unidades (CDC, EMEI, EMEF) fazendo um mesmo evento. Deu muito certo. Ninguém atropelou ninguém. E tudo foi muito bem organizado. A integração neste evento é a prova de que o projeto vai dar certo”. - Márcia Santos, 48 anos, professora da EMEF, sobre o projeto em São Miguel

“A educação, promovida com a integração de diferentes políticas, é uma chance de aproveitarmos o potencial já existente e de introduzirmos novas ações, em tempo integral. Isso amplia as boas oportunidades de aprendizagem, as quais impulsionarão o efetivo aprendizado das nossas crianças. Além disso, as forças do território estão junto com as do poder público, o que é fundamental”. - Anna Helena Altenfelder, superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec)