Notícias

Mundo Jovem leva debate público a adolescentes e forma docentes, por meio de parceria com a DRE São Miguel


JUVENTUDE | FORTALECIMENTO 13/01/2014

As atividades do Núcleo Mundo Jovem, da Fundação Tide Setubal, beneficiaram diretamente 681 pessoas em 2013, entre adolescentes, jovens, professores e educadores sociais, em ações em escolas, espaços comunitários e ONGs. Participações em debates públicos e fóruns e formação de docentes foram destaques.

A aproximação com a Assessoria de Juventude da Subprefeitura de São Miguel possibilitou a atuação de adolescentes e jovens em eventos como o “Tamo junto”, que elaborou, coletivamente, propostas para o plano de metas da subprefeitura, em habitação, saúde, transporte, educação, entre outros temas. Participaram cerca de 150 adolescentes do Espaço Jovem, Intermídia Cidadã, MOB Jovem (grupo apoiado pelo VAI, composto por ex-integrantes do Espaço Jovem e Intermídia), Centro Social Marista Irmão Lourenço de Vila Progresso e Instituto Alana. A metodologia usada durante o “Tamo junto” foi replicada depois em escolas e ONGs da região, com outros adolescentes. Houve ainda dois encontros: com Gabriel Medina, secretário Municipal de Juventude, e para debater políticas públicas de juventude.

“É o que chamaria de ‘ensaio político’”, diz Viviane Hercowitz, coordenadora do Mundo Jovem. “Os jovens se aproximaram das políticas públicas, refletiram sobre o território e participaram ativamente do plano de metas da região. Isso gerou uma sensação de proximidade do poder público e de influência no desenvolvimento local”, conclui. Desses encontros, criou-se uma parceria entre Fundação e Centro Marista: cerca de 70 adolescentes se encontraram três vezes, aos sábados, para compartilhar saberes e falarem sobre sexualidade, redução da maioridade penal e drogas.

Reconhecimento da DRE

Em paralelo, o Mundo Jovem ofereceu, o ano todo, formação continuada a professores da EMEF Armando Cridey Righetti e da EMEF CEU Três Pontes, no horário oficial de formação de docentes municipais. A EMEF Caucásica participou só no primeiro semestre, pois passou por reorganização interna, deixando a parceria. A estratégia foi aprofundar as ações em menor número de escolas, aumentando a proximidade com as propostas pedagógicas de cada uma, com mais escuta das demandas e adequação das metodologias. “Os 45 professores se envolveram e refletiram sobre suas práticas. Alguns do Righetti realizaram oficinas sobre diversidade com os alunos e, no CEU três Pontes, fizeram a Semana do Adolescente, com oficinas sobre sexualidade, drogas e jogos cooperativos, para 150 participantes, em parceria conosco e com o Núcleo Qualidade de Vida”, explica Viviane. “Agora, temos o desafio de aprimorar essas parcerias participando das reuniões de planejamento pedagógico, fazendo mais ações em conjunto e alinhando-nos aos projetos já existentes em cada escola”.

No segundo semestre, em parceria com a Diretoria Regional de Ensino (DRE), o Mundo Jovem, com o Núcleo de Comunicação Comunitária (NCC), promoveu formação para 76 professores de informática, ou POIEs, de 53 escolas, com foco em convivência escolar, novas tecnologias e interdisciplinaridade. “A abertura para parcerias que a DRE nos deu em 2013 foi um grande resultado. Fomos reconhecidos e legitimados pelo método e temas que abordamos desde 2007 nas escolas, como a violência, e pelo fortalecimento da relação professor-aluno adolescente”, relata a coordenadora. Em avaliação, os POIEs elogiaram a maneira de atuação dos palestrantes-formadores. “Um marco foi a solicitação deles, já aceita pela DRE, de montarmos em 2014 um grupo mensal de reflexão sobre a realidade do território e novas práticas educativas com adolescentes.”

Leia mais sobre a parceria com a DRE em 2013:

Fundação Tide Setubal e DRE São Miguel promovem formação em educação integral

 

Perspectivas futuras

A assiduidade de quase 100% dos participantes até o fim do ano marcou as atividades do Espaço Jovem em 2013. O grupo de 30 adolescentes, de 12 a 15 anos, trabalhou as temáticas identidade/diversidade, sexualidade, família e drogas no Galpão e Cultura e Cidadania e também circulou pela cidade em passeios culturais. Foi ainda multiplicador dos saberes para outros adolescentes ‒ em oficinas de sexualidade, no Centro Marista, e sobre drogas, na Semana do Adolescente do CEU Três Pontes ‒, além da participação em fóruns de políticas públicas para essa faixa etária.

“Formou-se um grupo muito protagonista e envolvido com as questões do território e da cidade. Em 2014, pensamos em fazer encontros periódicos com estes e outros adolescentes e jovens engajados, fortalecendo lideranças e participações comunitárias”, avalia Viviane. A cerimônia de formatura ocorreu em 23 de novembro, quando eles receberam certificado e um “Oscar” por suas melhores habilidades.

Outra frente de atuação do Mundo Jovem em 2013, a Rede de Proteção Social da Criança e Adolescente de São Miguel Paulista e Ermelino Matarazzo realizou encontros mensais de profissionais de ONGs, da saúde, da assistência social e da educação em igrejas, escolas e clubes. Estiveram em pauta temas como redução da maioridade penal e desafios dos núcleos de medidas socioeducativas. “Esperamos ter um grupo mais permanente no ano que vem, cumprir o previsto no estatuto que criamos, trabalhar com casos reais, fazer seminários de temas atuais e nos alinhar mais ao Fórum da Juventude e da Criança e do Adolescente”, conta a coordenadora.

O ano de 2014 guarda quatro principais objetivos para o Núcleo Mundo Jovem: compartilhar conhecimento e contatos com agentes e instituições locais do Núcleo com a equipe de educação do CEU Três Pontes, para formar mais docentes e realizar trabalhos na perspectiva da educação integral; continuar as formações com os POIES, trabalhando a gestão democrática nas escolas e fortalecendo a rede de proteção, pensando-se nos alunos que evadem; aprimorar as capacidades de monitoramento e de avaliação de projetos financiados, como o do Football for Hope; e captar recursos para incrementar as iniciativas.

Falas de quem participou

“O Espaço Jovem foi uma coisa bem diferente na minha vida. Aprendi coisas que eu não imaginava sobre sexualidade, por exemplo. São assuntos sobre os quais nunca tinha falado nem perguntado pra ninguém. Conheci várias pessoas diferentes e fiz amizades. E os passeios foram todos para lugares que eu ainda não conhecia, como o parque do Ibirapuera.” – Vanessa de Oliveira Moura, 12 anos, aluna do 8º ano da E.E. Prof. Pedro Moreira Matos

“Foi muito bom ter participado do Espaço Jovem. Gostei bastante dos passeios: fui para a avenida Paulista e ao teatro. Aprendi a não ter vergonha, a falar e a debater com as pessoas, porque, antes, eu era bem tímido. Achei interessante também discutir sobre drogas.” – Danilo Silva Souza, 15 anos, aluno do 8º ano da E.E. Prof. Pedro Moreira Matos

“O início da Rede foi um pouco difícil, e as coisas melhoraram no ano. Os avanços foram as parcerias, que não eram recorrentes e que permaneceram, no sentido de caminharmos juntos. A existência de um público bastante flutuante acabou atingindo outros atores sociais, o que foi positivo. A expectativa para 2014 é de que a Rede se solidifique e seja independente, conseguindo andar e evoluir.” - Tânia Cristina Silva de Abreu, coordenadora de projetos do Instituto de Defesa da Cidadania Terceiro Milênio, de Itaquera, parceiro da Fundação e da Associação Casa do Deficiente de Ermelino Matarazzo (Acdem)

“A formação despertou a socialização, a integração e a criatividade. Saímos do curso com a certeza de que não estamos sozinhos e mais motivados a aplicar as práticas com nossos alunos.” – Adventino Alves de Santana, POIE na EMEF Prof. José Bento de Assis, na Vila Mara