Notícias

Fundação Tide Setubal promove curso de Iniciação Política na periferia


MOBILIZAçãO | JUVENTUDE | FORTALECIMENTO 16/05/2017

“Trinta mil? Quem dá mais? Cinquenta mil? Mais! Cem mil? Não, é menos”. Animados, estudantes do ensino médio da Escola Estadual Prof. Pedro Moreira Matos, no Jardim Lapenna, tentavam adivinhar quantos vereadores existem ao todo no país, em uma conversa sobre o funcionamento das esferas de poder no Brasil.

A aula foi parte de um curso de Iniciação Política para jovens, realizado pela Fundação Tide Setubal em parceria com a Fundação Konrad Adenauer. O principal objetivo do projeto é oferecer aos seus participantes um conteúdo capaz de alterar sua relação com a política, solidificando noções sobre os direitos dos cidadãos e enfatizando a necessidade de mais participação política na sociedade.

 

“Este ano a Fundação Konrad Adenauer, com quem já estabelecemos diversas parcerias, nos procurou com a proposta de começar duas turmas do curso de Iniciação Política em São Miguel Paulista. Pensamos então em levar esse conteúdo para as escolas, com o intuito de fortalecer a consciência política dos jovens do Jardim Lapenna”, afirma Izabel Brunsizian, Coordenadora de Projetos da Fundação Tide Setubal.

Os cursos de política da Fundação Konrad Adenauer começaram em 2003, criados por alunos de mestrado e doutorado do Departamento de Ciência Política da USP, e desde então mais de 400 formações foram realizadas. “O curso é importante em especial para os jovens, porque estão em fase de aprendizado e devem superar o senso comum em relação à descrença pela política. O discurso precisa mudar, a narrativa da política precisa ser alterada na mente das pessoas. Precisamos passar de passividade e sentimento de corrupção para atividade e sentimento de corresponsabilidade”, diz Humberto Dantas, cientista político e coordenador do curso.  

Política para além da periferia

O curso teve duração de 12 horas, concentradas em três encontros. Neles, foram abordados temas como democracia e o futuro da política, ética, cidadania e a estrutura do Estado brasileiro. “Esse tipo de trabalho é importante para abrir a mente dos jovens para novos ares. Eles precisam entender que existe um mundo para além dos muros da escola e do Lapenna, compreender esse mundo e buscar mais oportunidades”, diz Carolina Aparecida Spirandeli Rodrigues, coordenadora pedagógica da E.E. Prof. Pedro Moreira Matos.

Na primeira edição do curso no Jardim Lapenna, foram mobilizadas três turmas do ensino médio da escola, totalizando cerca de 100 alunos. “A gente percebe que o curso amplia o conhecimento dos jovens. Eles normalmente estão à margem desses assuntos trabalhados, e nos três dias que damos as aulas é perceptível que eles ganham uma aproximação com o tema, a política desperta seus interesses”, afirma Samuel Oliveira, cientista político e professor do curso.

Alunos engajados

Política pode ser considerado um tema árido, mas as aulas do curso de Iniciação Política estão longe de serem engessadas. Com abertura ao diálogo e muitas provocações, os encontros trouxeram aos jovens informações importantes sobre o funcionamento do sistema eleitoral brasileiro e os direitos e deveres do cidadão, sempre conectando os temas à vida dos adolescentes e pedindo suas opiniões.

Alessandro Francisco Santos de Paula, de 17 anos, foi um dos alunos que mais participou do terceiro encontro do curso, demonstrando possuir conhecimentos básicos sobre a política brasileira. “Falta interesse na minha geração, principalmente quando o tema é política. As pessoas escutam sobre o tema e já querem desistir, se acomodar. Por isso gostei do conteúdo e também do formato das aulas, que foram além da teoria e mostraram os impactos da política para o cidadão”, afirma.

A estudante Melissa Silva, de 16 anos, aproveitou a aula para se informar. “Eu normalmente não tenho muito interesse por política, mas sei que eu deveria ter, afinal, temos responsabilidade pelo que acontece na política pois nós que colocamos os políticos lá. Estou tentando melhorar nesse aspecto, até mesmo porque cai no vestibular. Essas palestras ajudaram bastante nisso”.