Notícias

15 livros infantis que celebram a equidade e a cultura afro-brasileira


QUALIDADE DE VIDA | LEITURA | FESTIVAL DO LIVRO E DA LITERATURA 09/10/2017

A literatura é fundamental para a construção de identidades e visões de mundo das crianças. Por isso, é importante que as obras de literatura infantil expressem a diversidade cultual da população. Até pouco tempo atrás, no entanto, era difícil encontrar no Brasil livros infantis com protagonistas negros, escritos por autores e autoras negros ou que explorassem as raízes históricas, culturais e os saberes afro. Mas agora já existem diversas opções de títulos e até mesmo editoras que dedicam grande parte de seu catálogo aos temas afrodescendentes, como é o caso da Pallas Editora. 
 
Separamos uma lista com 15 títulos de livros infantis que abordam esses temas para as crianças.
 
Boa leitura!
 
 
1- Martin e Rosa, de Raphaëlle ZauFrier (Ed. Zahar) 
 
O livro conta a história de dois personagens históricos fundamentais na luta contra o racismo nos Estados Unidos: Rosa Parks e Martin Luther King. Com boas ilustrações, Martin e Rosa narra uma das histórias mais poderosas e revolucionárias do século XX, a da luta pelos direitos civis e pela igualdade entre todas as pessoas de todas as raças, credos e cores.
 
 
2- O mundo no black power de Tayó, de Kiusam de Oliveira (Peirópolis)
 
Tayó é uma menina negra que tem orgulho do cabelo crespo com penteado black power, enfeitando-o das mais diversas formas. A autora apresenta uma personagem cheia de autoestima, capaz de enfrentar as agressões dos colegas de classe, que dizem que seu cabelo é 'ruim'. Com uma narrativa inspiradora, a autora transforma o enorme cabelo crespo de Tayó numa metáfora para a riqueza cultural de um povo e para a riqueza da imaginação da menina.
 
 
3- Menina bonita do laço de fita, Ana Maria Machado (Ática)
 
Traz uma história de valorização da beleza negra, onde um coelho branco queria casar-se e ter uma filha “bem pretinha”. Durante a obra, o coelho tenta descobrir o segredo para conquistar o seu desejo. 
 
 
4- Obax, André Neves (Brinque-Book)
 
O livro conta a história de Obax, uma menina percorre a savana africana com a sua imaginação. Ela conhece girafas e outros animais selvagens, mas o seu passatempo preferido é contar histórias. As ilustrações são excepcionais e o texto nos proporciona um passeio pela diversidade e pluralidade do continente africano.
 
 
5- O livro das origens, de José Arrabal (Paulinas, Coleção Mito & magia)
 
Neste livro o autor apresenta uma série de mitos de algumas regiões do Brasil, África e México sobre origens. São várias culturas pensando o mundo de forma muito diversa.
 
 
6- Bruna e a galinha d’Angola, de Gercilga de Almeida (Pallas)
 
A obra retrata o universo mítico africano representado pela Galinha d´angola e sua relação com a criação do universo.
 
 
7- A História do Rei Galanga, de Geranilde Costa (Expressão Gráfica e Editora)
 
O livro trata da história do Rei Galanga, conhecido como Chico Rei, um rei africano que teve seu reinado invadido pelos portugueses e foi trazido com sua família e outras pessoas de seu grupo para o Brasil na condição de escravos. Além de contar a história do rei Galanga, o livro traz como objetivos o interesse de desmistificar a ideia da África como um continente sem história anterior à invasão portuguesa e a oportunidade de apresentar, por meio da existência dos Orixás junto ao Candomblé e a Umbanda, alguns princípios da cosmovisão africana.
 
 
8- Ifá, o Adivinho, de Reginaldo Prandi (Companhia das Letrinhas)
 
O livro apresenta um rico conjunto de personagens, costumes e modos de agir do universo cultural africano que se tornou parte constitutiva da diversidade cultural brasileira. Conta a história de um adivinho chamado Ifá que jogava seus búzios mágicos e desvendava o destino das pessoas que o consultavam. Ele as ajudava a resolver todo tipo de problema, mas o que mais gostava de fazer era auxiliá-las a se defender da Morte. Um dia, a Morte, irritada com a intromissão de Ifá em seus negócios, decidiu acabar com ele. Ifá foi salvo da Morte pela intervenção de uma corajosa moça chamada Euá, e pode continuar seu trabalho de ler a sorte, predizer o futuro e proteger as pessoas da Morte.
 
 
9- Minha mãe é negra sim! de Patrícia Santana (Mazza Edições)
 
O livro conta a história do menino Eno, que se vê às voltas com o racismo na escola e sofre com o dilema de ter que retratar sua mãe, negra, em uma atividade escolar.
 
 
10- Cada um com seu jeito, cada jeito é de um! de Lucimar Rosa Dias (Editora Alvorada)
 
O livro infantil conta a história de Luanda, uma menina negra brincalhona e vaidosa, que adora o seu cabelo crespo onde envolve todos da família nos diversos penteados que inventa. Foi seu pai quem escolheu esse nome para ela por acreditar que ela seria tão linda quanto a cidade africana que ele conheceu quando era jovem. A leitura promove o reconhecimento e a valorização das diferenças.
 
 
11- Omo-Oba-Histórias de Princesas, de Oliveira e ilustrações de Josias Marinho (Mazza Edições)
 
O livro reconta mitos africanos, divulgados nas comunidades de tradição ketu, pouco conhecidos pelo público em geral e que reforçam os diferentes modos de ser em relação ao feminino, nos permitindo trabalhar o emponderamento das meninas dos novos tempos. Dividido em seis mitos, relata as histórias de Oiá, Oxum, Iemanjá, Olocum, Ajê Xalugá e Oduduá.
 
 
12- O menino marrom, de Ziraldo (Melhoramentos)
 
Esta é a história de um menino marrom, mas fala também de um menino cor-de-rosa. São dois perguntadores inveterados que querem descobrir juntos os mistérios das cores. “Quem inventou que o contrário de preto é branco?”. “Se um de nós é marrom e outro não é exatamente branco, por que nos chamam de preto e branco?”. São muitas as perguntas, e muitas serão as descobertas.
 
13- O mar que banha a ilha de Goré, de Kiusam de Oliveira (Peirópolis)
 
O livro apresenta um diálogo entre uma menina brasileira, a Kika, e o seu ancestral mais antigo, o mar. Ambientada na Ilha de Goré, no Senegal, o livro dá a oportunidade dos leitores aprofundarem conhecimentos sobre ancestralidade enquanto a personagem também aprende.
 
 
14- Zumbi Assombra quem?, de Allan de Rosa (Editora Nós)
 
Zumbi é um tipo de monstro fedorento caindo aos pedaços ou um guerreiro pensante que mora nos vãos da terra? A pergunta que martela a cabeça de um garoto direciona diálogos com o seu Tio Prabin, com a sua Mãe Manta e, em sonhos e lembranças, com a sua Vó Cota Irene, todos moradores de um bairro periférico. O enredo flui com personagens inusitados e cenários que vão de quintais a botecos. Pelos seus olhos de menino, surgem os mistérios, alegrias e medos de Zumbi ao lidar com questões que desafiam seu povo há séculos.
 
 
15 – O Cabelo de Cora, de Ana Zarco Câmara (Pallas Editora)
 
Cora é uma menina que adora ir à escola e é bastante orgulhosa do seu cabelo. Ele não é liso como o das suas amigas. É crespo como o de sua Tia Vilma e sua avó. Mas talvez O cabelo de Cora não pareça tão belo para suas colegas e ela pode precisar de um empurrãozinho para aprender a amá-lo de novo e a dizer para todo mundo o quanto ele é bonito do jeito que ele é.