Notícias

Galpão de Cultura e Cidadania ganha novas instalações


19/06/2009

Carlos Augusto Calil (Secretário Municipal de Cultura), Prefeito Gilberto Kassab, Diógenes Sandim (Subprefeito de São Miguel Paulista), os vereadores Ricardo Teixeira e Adolfo Quintas, Sr. José Nário Pereira dos Santos (Narinho) e Maria Alice Setubal. (Fotos: Gustavo Porto)

Na tarde do dia 16 de junho, a Fundação Tide Setubal e a Sociedade Amigos do Jardim Lapenna inauguraram o novo modulo do Galpão de Cultura e Cidadania, no Jardim Lapenna – distrito do bairro de São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo. A cerimônia contou com a presença do Prefeito Gilberto Kassab,do Secretário de Cultura, Carlos Augusto Calil, do Subprefeito de São Miguel, Diógenes Sandim, dos vereadores Ricardo Teixeira e Adolfo Quintas, entre outros representantes do poder público.

O novo módulo reúne o Ponto de Leitura Jardim Lapenna, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura – com acervo de 1.600 livros, jornais e revistas –, e a Oficina Escola de Culinária, construída com recursos arrecadados no “Jantar do Século”, ainda, oferecerá à comunidade cursos gratuitos ministrados por professores do Sesi, o Serviço Social da Indústria. Além disso, a comunidade passa a contar também com cinco outras salas, que abrigarão atividades de projetos da Fundação realizados no local (ArteCuturAção, Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar e Espaço Jovem).

Maria Alice Setubal, presidente da Fundação Tide Setubal, abriu a solenidade no Galpão, que estava lotado, e expressou sua emoção pela expansão do espaço."Esse Galpão faz parte da missão da Fundação Tide Setubal, que busca contribuir para o desenvolvimento sustentável e empoderamento dessa comunidade." Ressaltou ainda a importância da parceria com a Sociedade Amigos do Jardim Lapenna.“Essa parceria dá certo porque temos um respeito mútuo”, explica. “Uma parceria exige muita conversa, diálogo e normas de procedimento, para podermos fazer coisas boas”.

A Secretaria Municipal de Cultura é a mais nova parceira dessa trajetória com a instalação do Ponto de Leitura, que criado atende a um pedido da população local e, em especial, dos pequenos. “Em 2006, fizemos uma pesquisa e as crianças do Jardim Lapenna responderam que o que elas mais queriam era aprender a ler, e que não tivessem brigas”, relembra Maria Alice. A idéia foi estimulada durante a execução do Programa Ação Família São Miguel. As agentes do programa colocavam à disposição nos encontros semanais uma caixa comunitária de livros. O trabalho, inserido no âmbito do Programa Ação Família – Viver em Comunidade, da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social da Prefeitura de São Paulo, promove ações sócio-educativas com as famílias em sete dimensões: saúde, educação, trabalho, cidadania, renda, dinâmica familiar e habitação.

Novas demandas

Para o secretário de Cultura Carlos Augusto Calil, atender a essa reivindicação na área cultural foi a parte mais importante da parceria desenvolvida entre a Fundação e o poder público municipal. “Aqui podemos ser otimistas: tudo pode crescer a partir dessa iniciativa”. Os livros, voltados para crianças, jovens e adultos, e a assinatura de jornais e de revistas foram fornecidos pela Secretaria. Eles compõem um acervo inicial, a ser ampliado sempre que o sistema de bibliotecas municipais efetuar novas compras. E, de acordo com o secretário Calil, novas parcerias estão no horizonte: “Dependemos das demandas da comunidade; é só começar”.


Na área externa do Galpão, a subprefeitura de São Miguel Paulista cuidou do serviço de jardinagem. O subprefeito Diógenes Martins falou ao público e exaltou a força do trabalho da Tide Setubal: “A Fundação tem o que chamo de parceria de compromisso, de resgate social e da cidadania, e isso vem de encontro ao nosso projeto de desenvolvimento”. Em seu discurso, o prefeito Kassab, reforçou: “Com essas novas instalações, todos ganham em qualidade de vida. Espero poder conseguir mais equipamentos públicos até o fim da gestão em parcerias como essa”. O prefeito também prometeu melhorias na região, como a instalação da Unidade de Saúde, reivindicação histórica da comunidade.


José Nário Pereira dos Santos, o seu Narinho, presidente da Sociedade Amigos do Jardim Lapenna, reforçou a disposição em apresentar as demandas locais e batalhar para conquistar avanços. “Queremos o melhor para o nosso bairro, e estamos junto de todo mundo que quiser fazer algo de interesse da população.” Em seguida, concluiu: “Temos de acreditar na gente”.

Fala, comunidade!

Desde a construção do Galpão, os moradores da comunidade notam melhorias em várias frentes. O aposentado Olímpio Lucas, de 66 anos, conhecido como Gaúcho, chegou ao local em 1972, e fez parte da primeira diretoria da Sociedade de Amigos do Jardim Lapenna. “O Galpão é uma ótima iniciativa”, acredita. “Antes, quem chegava aqui via um campo de futebol e mato. Hoje, está tudo arrumado, e as pessoas olham para todo o bairro de outra maneira.”

Renato Soares de Oliveira, mais conhecido como Renatinho,  é um dos jovens multiplicadores do Projeto ArteCulturAção

Renato Soares de Oliveira, de 20 anos, participa das atividades do ArteCulturAção desde o começo do programa, em 2006 (antes, portanto da construção da primeira parte do Galpão). Hoje, ele está aprendendo a dar aulas, para multiplicar o que aprendeu nas oficinas, e também nota diferença no comportamento das pessoas. “O Jardim Lapenna cresceu muito desde que a Fundação veio pra cá e a comunidade está muito mais unida”, observa.

Maria Reginalva dos Santos, a dona Nalva, tem 57 anos e mora no Lapenna há 45. Seu filho, Thales Aparecido dos Santos, de 20 anos, participou de muitos projetos do Galpão, e Nalva é enfática: “Depois que meu filho entrou aqui ele só melhorou, e aprendeu coisas que eu não poderia dar para ele”, conta. “Por isso, eu participei desse sonho e torci muito”. Animada, ela que já fez curso de fotografia e integra o Ação Família, pretende ser uma das primeiras alunas da Oficina Escola de Culinária.

Funcionamento da nova área
A partir de 29 de junho, professores do Sesi ministrarão cursos gratuitos na escola de culinária. As duas primeiras turmas reunirão participantes do Ação Família. A partir de 13 de julho, os cursos beneficiarão também outros moradores da comunidade. Os módulos previstos, com 20 alunos por turma, são: Salgados para Festa, Docinhos, Culinária Regional e Bolo Simples. No próximo ano, deverá ocorrer a fase de empreendedorismo, com produção de alimentos e de cardápios diferenciados, visando à geração de renda.

O Ponto de Leitura ficará aberto de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 19h. Dois jovens que participaram de projetos da Fundação Tide Setubal anteriormente trabalharão como estagiários ali para atender à comunidade.

Clique aqui para ver mais fotos!