Notícias

NCC São Miguel no Ar amplia alcance das ações para além do Jd. Lapenna


14/12/2010


O Núcleo de Ação Comunitária (NCC) São Miguel no Ar ampliou o alcance de suas ações em 2010. Além das atividades no Jd. Lapenna, desenvolveu projetos de educomunicação em diferentes localidades de São Miguel e em outros bairros da cidade de São Paulo. Por meio da Rede Jovem Comunica, o NCC chegou a cinco escolas públicas. São elas: EMEF Antonio Carlos de Andrade e Silva; EMEF Dom Paulo Rolim Loureiro; EE Reverendo Urbano de Oliveira Pinto; EE Eng. Pedro Viriato Parigot de Souza; e EE Shinquichi Agari.

Já a assessoria tecnológica prestada ao Programa Jovens Urbanos propiciou o intercâmbio com jovens do Lajeado e Guaianazes, ambos na zona leste da capital paulista. Houve ainda parcerias com instituições de São Miguel, como o Centro Social Marista, NUA (Associação Nova União da Arte) e Instituto Crescer. Com cada ONG foi estabelecido um tipo de trabalho, fossem estudos de educomunicação ou colaboração para implantação de um núcleo de comunicação no território. “As assessorias têm gerado recursos financeiros e representam um início de autossustentabilidade do NCC”, explicou Luiz Adeve, o Cometa, coordenador do Núcleo.

No Jd. Lapenna, em abril, trinta jovens encerraram o ciclo formativo em comunicação e quatro jovens do grupo passaram a atuar como mediadoras, para fomentar a produção dos veículos no território (jornal, TV e rádio). Contribuíram ainda com as atividades do Rede Jovem Comunica nas escolas e com as oficinas de letramento digital nas quais ensinaram os moradores a usar as ferramentas da internet e do computador. O próximo módulo será sobre construção de blogs.

Na avaliação de Cometa, 2010 foi um tempo de amadurecimento dos veículos comunitários. “Durante todo o ano, nossas intervenções de TV e Rádio de Rua tiveram o apoio e a adesão da comunidade. No impresso A Voz do Lapenna, os moradores não são mais só objeto das pautas, eles passaram a contribuir como pauteiros. Contamos ainda com a participação da Unicsul e da Rede Jovem Comunica na elaboração dos jornais”, destacou Cometa.

Em 2011, o Núcleo pretende sistematizar sua metodologia para disseminá-la ainda mais para outros territórios. Está nos planos também a consolidação da rede entre as escolas e a promoção de mais assessorias tecnológicas.

Leia depoimentos de participantes dos projetos:

“Participei da formação do NCC em 2009. Como estagiária, neste ano, pude alinhar os conhecimentos da faculdade com a prática aqui. Sinto que aprendi muito com o convívio com a equipe, com os profissionais das escolas, da Fundação, com as pessoas da localidade. Foi uma troca muito legal. Além disso, participo de ações e vejo as mudanças concretas que acontecem nos locais”.
Kátia Ramalho, estagiária Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar

“Sempre gostei de rádio e de televisão. Por isso, resolvi participar da Rede Jovem Comunica. O que mais marcou foi o dia da gravação do programa de TV. Eu nunca tinha gravado um vídeo. Nós pensamos no roteiro e tudo o mais. Foi legal poder me comunicar com todo mundo”.
Thiago Afonso Silva, 12 anos, quinta série do ensino fundamental da EE Shinquichi Agari

“É bacana a participação de universitários e jovens no jornal, porque são mais pessoas para dar força ao nosso movimento, para divulgar nossas conquistas e para contribuir com nossa luta por melhorias para o Lapenna”.
Deise Batista de Souza Santos, 48 anos, comerciante e integrante da comissão de moradores que participa da elaboração das pautas dos veículos comunitários.