Notícias

Núcleo de Música e Luteria estimula autonomia no processo de aprendizagem


14/12/2010


Em 2010, o Núcleo de Música e Luteria, inserido no Projeto ArteCulturAção,  implementou a estrutura em módulos para formação em construção de instrumentos. No ateliê de luteria, artesãos da zona leste, jovens e demais interessados puderam participar dos cursos de construção de instrumentos de percussão, de rabeca e de violão.

Outro destaque foi que a oficina de luteria passou a ficar aberta durante 40 horas semanais para que a comunidade pudesse utilizá-la, para desenvolver seus trabalhos. Com essas novidades, o Núcleo diversificou seu público, focando não apenas em jovens e crianças, mas atendendo também adultos interessados em luteria e artistas da região.

“Além disso, o espaço aberto propicia relações de aprendizados informais e menos institucionalizadas”, relatou Inácio Pereira dos Santos Neto, coordenador do ArteCulturAção. Os alunos costumam se reunir fora do horário de aula para trocarem conhecimentos na oficina. Quem está há mais tempo no projeto costuma ensinar os novatos. “O que vemos é uma prática solidária e mais autonomia dos atores. Assim o espaço passa a se transformar em um local permanente de formação e em uma referência em luteria”.

Ao longo de 2010, o Núcleo também deu continuidade ao ensino de música para duas faixa etárias: jovens a partir de 13 anos e crianças a partir dos 6 anos do Jd. Lapenna. Nos encontros, eles aprenderam a tocar caixa, cajón, alfaia e outros instrumentos. Foram apresentados também a ritmos populares da cultura brasileira aos participantes, tais como o coco, a ciranda e outros.

Com a estrutura em módulos, o Projeto ArteCulturaAção ampliou o número de beneficiados. Em 2009, eram cerca de cem nos dois núcleos. Neste ano, foram atendidas mais de 200 pessoas.

Em novembro, outro fato importante no Núcleo foi o lançamento do livro Olhar, ouvir, tocar – experiência da educação pela arte. A obra reúne aprendizados do projeto e ensinamentos sobre a criação de instrumentos com técnica artesanal, o que permite que a iniciativa seja replicada por qualquer organização interessada.

Para 2011, a expectativa é manter essa estrutura, ampliando o diálogo com grupos do território. Na luteria, o módulo de construção de violão deve ser repetido, por conta da demanda que não foi atendida neste ano. Há ainda a proposta de fomentar o associativismo entre os artesãos para que possam construir mais instrumentos e multiplicar as experiências do Núcleo.

Leia depoimentos de participantes do Núcleo de Música e Luteria:

“Eu não sabia tocar nenhum ritmo quando cheguei aqui. Agora já sei tocar coco, ciranda e o boi. Além disso, vejo o pessoal construir instrumentos. Tenho vontade de participar da luteria também”.
Flávio Cauê Araújo, 11 anos, participante das oficinas de iniciação musical

“Um dia vi o pessoal tocando e fiquei curiosa para saber o que era. Acabei entrando no projeto. Aprendi a tocar ganzá e repique. Aprendi a história dos instrumentos e dos ritmos. É muito legal”.
Jaqueline Pialogan, 16 anos, participante das oficinas de iniciação musical

“Gosto estar sempre aprendendo, principalmente tudo relacionado à madeira. Já fiz marcenaria e entalhe aqui. Daí soube do módulo de violão e resolvi aprender também por ser algo diferente. Ninguém sabe o que é luteria. Geralmente, você encontra cursos para tocar violão, não para a construção. Foi bastante gratificante. Agora, o grupo combinou de se reunir para cada um construir se próprio instrumento”.
Josineide Tenório Cavalcanti Cupertino, 49 anos, participante do módulo construção de violão

“Já procurava o curso há muito tempo, mas só havia encontrado na Vila Mariana. Quando descobri este pelo site, resolvi estudar. Aprendi muito mesmo. A luteria é um hobby que pretendo continuar. Para o futuro, tenho a intenção de fazer o curso de de cavaquinho”.
Carlos Henrique Moreira de Oliveira, participante do módulo construção de violão