Notícias

Mês de setembro marca 389°aniversário de São Miguel Paulista


29/09/2011

No mês de setembro, São Miguel Paulista, bairro da zona leste da capital paulista com mais de 400 mil habitantes, comemorou seu 389° aniversário. As festividades contaram com atrações bem diferentes, promovidas pela Subprefeitura do distrito. A Fundação Tide Setubal participou da programação com três ações: venda de quitutes na Festa Brasileira, produzidos pela Oficina Escola de Culinária do Jardim Lapenna; expedição fotográfica pelas ruas do bairro, “Um olhar sobre São Miguel”, coordenada pelo CPDOC; e mostra de curtas, no CDC Tide Setubal.

Festa Brasileira

No domingo, 11 de setembro, aconteceu uma grande festa gastronômica no Mercado Municipal Dr. Américo Sugai, que incluiu shows com artistas locais, como o Grupo de Maracatu Nação São Miguel. Diversas entidades sociais que atuam na região montaram barracas para comercializar comidas típicas do Brasil. O estande de Santa Catarina ficou sob a responsabilidade da Oficina Escola de Culinária, projeto da Fundação Tide Setubal que oferece aulas de gastronomia no Galpão de Cultura e Cidadania, no Jd. Lapenna.

“Ficamos felizes com o convite da organização do evento. Afinal, foi uma oportunidade para a Fundação fortalecer seu compromisso com as ações de São Miguel e para Oficina divulgar seus cursos na região. Além disso, as mulheres puderam aprimorar na prática suas habilidades e seu potencial empreendedor”, disse Lúcia Amadeo, coordenadora do Ação Família, programa responsável pela Oficina.

Maria José Pimentel foi uma das seis mulheres da Oficina selecionadas para produzir e comercializar os produtos da Festa. “Foi intenso o processo de produção, mas muito divertido também. Fiz novas amizades, apliquei meus conhecimentos e aprendi pratos novos”, contou. Na barraca, foram vendidos lanche alemão, chucrute, strudel e cuca.  “Fiquei curioso para experimentar o sanduíche. Aprovado. Está delicioso”, descreveu Diego Virgilio.

Memórias do bairro

Na festa, havia também um estande do Centro de Pesquisa e Documentação (CPDOC) São Miguel, iniciativa da Fundação para preservar a memória local. Na ocasião, estavam exibidas mais de 50 fotos antigas do bairro em formato digital, que contavam a trajetória da região a partir da década de 1940. Foram colhidos depoimentos de mais de 15 moradores sobre suas histórias e memórias afetivas do bairro. “A intenção foi captar o olhar do morador sobre a festa e sobre as transformações que ocorreram no local”, disse Mauro Bonfim, coordenador do CPDOC.

Outra ação do CPDOC foi a realização da expedição fotográfica “Um olhar sobre São Miguel”, no dia 17 de setembro, voltada a despertar novos pontos de vista sobre o local onde os participantes vivem. Cerca de 20 pessoas percorreram um roteiro de pontos históricos: Mesquita de São Miguel, Fazenda Biacica, Parque Linear e Capela (uma das mais antigas da cidade). “Morei trinta anos aqui. Frequentava a área da fazenda, quando era criança. Agora está abandonada, e o entorno mudou bastante. Precisamos registrar essas mudanças”, relatou Evaristo dos Santos Pinto, historiador e atualmente residente em Ferraz de Vasconcelos (SP). 

Buscando incentivar esses registros e outros olhares feitos pelos próprios moradores, o CPDOC, em parceria com a área cultural da Fundação, exibiu uma mostra de curtas, no dia 24 de setembro, no CDC Tide Setubal. Ao final, foi realizada uma roda de conversa sobre o tema Produção de curtas: um diálogo possível com a realidade local. “A intenção foi fomentar o intercâmbio entre as pessoas para que, no futuro, possam produzir de uma forma coletiva”, pontuou Mauro. Essa atividade também compôs a programação de aniversário.