Notícias

Clube Escola desenvolve prática esportiva para cerca de mil alunos no CDC


19/12/2011

Ao longo de 2011, o Clube Escola, programa criado pela Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação e realizado em parceira pela Fundação Tide Setubal, ofereceu ao todo doze oficinas, de futebol, basquete, vôlei, ginástica artística e circo, a cerca de mil inscritos, entre 7 e 18 anos. Todos são alunos da rede pública de ensino da região de São Miguel Paulista e frequentam as atividades no CDC (Clube da Comunidade) Tide Setubal durante o contra-turno escolar.

Além de desenvolver a prática esportiva e outras habilidades, este programa trabalha com a formação cidadã, abordando assuntos como ética e conscientização ambiental. O Clube Escola promove ainda passeios e campeonatos no CDC. Neste ano, os alunos foram ao Parque Ecológico do Tietê e ao Museu do Futebol. O objetivo é apresentar-lhes outros espaços públicos para que continuem usufruindo deles futuramente.

Outra atividade diferenciada em 2011 foi a Gincana Literária. Durante Festival do Livro e da Literatura de São Miguel, ocorrido no fim de outubro, os educadores organizaram uma série de brincadeiras (passa ou repassa, trava-línguas) baseadas em contos da literatura infantil, a fim de estimular a leitura de crianças e jovens, que receberam vale-livros como prêmio.

Para Emerson Tolentino, coordenador de Esportes do CDC, essas ações têm solidificado o vínculo com os beneficiados. “O saldo de 2011 é bastante positivo. Vários alunos estão conosco há mais de três anos, a procura pelas oficinas aumentou neste ano, as turmas estão lotadas, e até teremos de rever a grade para melhor atender os alunos em 2012”, avaliou.

Bate-papo com boleiros

Para celebrar tais realizações, foi realizado no dia 18 de dezembro o 2° Encontro dos Amigos do CDC, que contou com dois convidados especiais: os ex-jogadores do São Paulo Futebol Clube, Raí e Zetti. Os atletas entregaram medalhas aos alunos que venceram as competições esportivas na parte da manhã e participaram de um bate-papo com crianças e adolescentes do Clube Escola e demais público presente no CDC.

“Estou feliz em ver a comunidade tomando conta desse espaço, a valorização do esporte e a participação das famílias. Notamos o desenvolvimento, quando existe este envolvimento local e parcerias. Com certeza, vocês vão construir uma comunidade melhor”, destacou Raí, na abertura. Em seguida, ele e Zetti responderam questões da plateia sobre o início de suas carreiras, momentos marcantes na seleção brasileira de 94, time do São Paulo bicampeão mundial e panorama atual do esporte no Brasil.

Para Zetti, os clubes brasileiros precisam realizar um trabalho de longo prazo, investindo nos times de base. “Há ainda uma grande necessidade de lapidar os jovens talentos. Eles chegam cedo ao time profissional, mas ainda com deficiências nos fundamentos básicos”, destacou.

De acordo com Emerson, a proposta da conversa com os boleiros foi desmistificar a imagem dos jogadores de sucesso, mostrando para os jovens as dificuldades pelas quais os atletas passam para chegarem ao topo. “Foi um momento também para motivar as crianças e os adolescentes a persistirem em seus sonhos”, disse.

Leia, a seguir, depoimentos de crianças e adolescentes do Clube Escola:

“Foi muito bom receber uma medalha das mãos do Raí. Faço futebol no CDC desde os 8 anos. Comecei com meu irmão. Já sabia jogar, mas aqui pude me desenvolver ainda mais. Outra coisa legal são os passeios porque a diversão com os amigos é garantida”.

Jackson costa Silva, 13 anos, aluno da oficina de futebol

“Não vou mais tirar o tênis do pé porque tem o autógrafo do Raí. Mas, além do futebol, faço mais duas oficinas. O basquete é bem divertido. Já na ginástica estou sempre aprendendo novos movimentos.”

Ana Carolina Santa Matos da Cruz, 10 anos, frequentadora de três oficinas do CDC

“Há três anos já faço esportes no CDC. Além de desenvolver a parte física, aqui aprendi a respeitar as pessoas e a trabalhar em equipe”.

Daniela Silveira, 12 anos, praticante de futebol e vôlei

“Comecei a fazer a oficina de circo neste ano. Estou gostando bastante. Já aprendi muita coisa, como estrelinha, cambalhota e pirâmide. A aula é uma vez por semana, e eu não perco uma”.

Larissa Souza Santos, 11 anos, aluna da oficina de circo

“Meus amigos da escola praticavam esportes aqui e me convidaram. Sempre tive interesse por vôlei porque é um esporte bastante dinâmico. Aprendi melhor as posições, o tempo da bola para cortar e muito mais. O professor ajuda mesmo você a se desenvolver; está sempre atento para fazer correções e dar explicações”.

Caique Cosenzu dos Santos, 14 anos, aluno do vôlei

“Comprei um tabuleiro de xadrez e aprendi as regras, mas queria me aprofundar. Então, comecei a frequentar as oficinas. Gostei bastante. Praticamos muito. Há teoria e muita diversão. Já participei do Campeonato Paulista Interclubes. O xadrez é tudo na minha vida e me ajudou muito na escola, principalmente em matemática. Hoje já estou multiplicando o que aprendi no Programa Escola da Família”.

Gustavo Dias de Godoy, 14 anos, frequentador das aulas de xadrez

 

Fotos: Veronica Manevy