Notícias

Canal Futura, em parceria com a Fundação Tide Setubal, leva o projeto Maleta Por que Pobreza? Educação e Desigualdade a professores da zona leste de SP


CDC 05/05/2015

Educadores da rede municipal e estadual participaram de duas formações do projeto maleta Futura com o tema Por que Pobreza? Educação e Desigualdade, promovida pelo Canal Futura, em parceria com a Fundação Tide Setubal. Essa é a sexta edição do projeto que leva para todo o País uma série de matérias em uma maleta. Professores e lideranças comunitárias são mobilizados para ampliar as discussões sobre as desigualdades sociais e ajudar a combatê-las.

A Fundação Tide Setubal foi convidada para viabilizar a mobilização das escolas da Zona Leste. José Luiz Adeve, coordenador do Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar destaca que o conteúdo da maleta vai de encontro do trabalho pela busca do desenvolvimento local da Fundação. “O material educativo da Canal Futura caiu como uma luva e vai de encontro com nosso trabalho de formação dos educadores da região. Contatamos alguns educadores e eles acabaram trazendo outros educadores para participar do projeto, com o auxílio do material e das formações com o Canal Futura o objetivo agora é multiplicar o tema dentro das instituições de ensino”, explica José Luiz.

Vanessa Pipinis, representante do Canal Futura, destaca a importância de trabalhar com os educadores. “A escola é um espaço privilegiado já que a educação é uma das principais vias para combater a pobreza. Questões como dificuldade de acesso e permanência na escola influenciam no futuro desses alunos. É preciso analisar a comunidade onde a escola está inserida, a vulnerabilidade a que os alunos estão expostos, e como esse cenário influencia na aprendizagem das crianças e jovens”.
A maleta conta com textos e material audiovisual para auxiliar o professor dentro da instituição de ensino. “Os educadores trouxeram várias questões para a formação, agora pensaremos em conjunto e vamos trabalhar pela superação da pobreza dentro e fora das escolas”, destaca Vanessa.

Durante o encontro, cada educador recebeu uma bolsa com um kit composto por uma seleção, em DVD, de programas do acervo recente do canal Futura, além de indicações de outras fontes, como filmes, documentários e sites. Livros e textos de apoio também compõem a maleta.

Para Katia Dias, professora da E.E. Shinquichi Agari, a formação dessa rede de combate à pobreza é de extrema urgência e a escola é um dos principais agentes para essa transformação. “Precisamos trabalhar essa questão da pobreza juntos levá-la para dentro da escola é primordial para que a rede funcione. Trabalho também em uma comunidade bem abastadas e vivenciamos como a condição social desses alunos influencia nos estudos”.

Aldisio Batista atua como mediador de conflitos na E.E. Reverendo Urbano de Oliveira Pinto, e para ele a escola deve se preparar e entender o quanto o fator social marca o desenvolvimento do aluno. “Com a ajuda do material da maleta Futura, o professor poderá ir melhor preparado para a sala de aula e com um olhar mais apurado para essa questão. Como mediador de conflitos, vejo que a vulnerabilidade a qual os jovens estão expostos influencia no comportamento de muitos alunos dentro das escolas”.

O projeto tem duração de dois anos e, a partir de agora, as escolas passam a contar com o apoio da equipe do Futura no planejamento de suas ações. Os gestores contarão participarão de encontros presenciais apresentando as vivências de cada docente com o uso da Maleta Por que Pobreza?.