Notícias

Fundação Tide Setubal lança publicação em comemoração aos seus 10 anos


PROGRAMAçãO CULTURAL | MOBILIZAçãO | LEITURA | FESTIVAL DO LIVRO E DA LITERATURA 09/12/2016

No dia 10 de novembro, durante o 7º Festival do Livro e da Literatura de São Miguel, aconteceu o lançamento da publicação Conexão São Miguel Paulista – Uma Década de Experiências da Fundação Tide Setubal no Enfrentamento de Desigualdades em Periferias Urbanas.

O livro comemora os 10 anos de atuação da Fundação na zona leste de São Paulo e apresenta a trajetória da instituição, a análise das mudanças sociais na região com base em 17 indicadores nesse período, a sistematização da metodologia e os princípios que guiam o seu trabalho, com a perspectiva de inspirar a atuação de outras organizações na busca pela equidade, além de desafios futuros. A publicação traz também dez personagens com histórias que apresentam seu encontro com a Fundação Tide Setubal e de que forma sua atuação foi transformada. 

A abertura da mesa ficou a cargo de Paula Galeano, superintendente da Fundação Tide Setubal. “O lançamento desta publicação no Festival do Livro e da Literatura é muito significativo para nós da Fundação, porque aqui compartilhamos nossa história, que é construída com muitos dos aqui presentes”, relatou.

O encontro aconteceu no auditório da Universidade Cruzeiro do Sul, e o professor e mestre João Paulo Cavalcante Lima, assessor da Pró-Reitoria de Graduação e Extensão da Universidade, participou do debate. “A parceria entre a Fundação Tide Setubal e a Universidade já é de longa data. Como resultado do nosso trabalho conjunto, temos os diversos programas que realizamos, como, por exemplo, o Fundo Zona Leste Sustentável, o Programa Esperança Renovada, que viabiliza reformas em moradias do Jardim Lapenna, entre outros”, afirmou.

Sobre o trabalho realizado pela Fundação Tide Setubal no território de São Miguel Paulista, Maria Alice Setubal, presidente da Fundação, muito emocionada lembrou: “Ouvir e fazer junto com a comunidade é um legado deixado pela minha mãe. E acredito que a Fundação o traz em sua atuação”.

Manuel Romão, professor e diretor regional de Educação de São Miguel Paulista, também compôs a mesa e relatou algumas das inúmeras parcerias já realizadas entre a Diretoria Regional de Educação e a Fundação e aproveitou o momento para agradecer. “Com a Fundação aprendi a importância de trabalhar com o território; no início dessa parceria, não conhecia essa potência. Vocês ouvem e respeitam o território, isso garante a eficácia e a eficiência desse trabalho. O que sinto agora com essa união que deu certo é, além de alegria, gratidão.”

Já o Padre Ticão, presidente da Associação da Casa dos Deficientes de Ermelino Matarazzo (Acdem), que acompanha o trabalho da Fundação Tide Setubal desde sua chegada a São Miguel Paulista, em 2006, afirmou: “Uma instituição como a Fundação traz um testemunho de generosidade, de transformação e de desenvolvimento para nossa região”.

Entre os presentes no encontro estavam representantes de organizações parceiras no território, como Irineu Augusto, professor de Educação Física e presidente do Vamo que Vamo, projeto social voltado para crianças e adolescentes na área de esporte realizado no Jardim São Vicente, na zona leste de São Paulo. Irineu era presidente do CDC Tide Setubal quando a Fundação Tide Setubal chegou ao território. “É fundamental essa parceria com a Fundação, o apoio que temos e esse legado que ela nos trouxe de que devemos buscar sempre algo a mais do que já desenvolvemos no dia a dia”, contou.

“Sou deficiente de berço e é muito significativo o acolhimento que tive, eu e meu trabalho, da Fundação Tide Setubal. Em um determinado momento, percebi que quase todas as minhas conquistas aconteceram na região da zona sul, pela minha falta de conhecimento e por não ter divulgação dos projetos que aconteciam aqui no bairro. Foi quando criei a ADIPPNE em parceria com a Fundação Tide Setubal, justamente para fazer um projeto de inclusão na zona leste”, falou Soraya Alvarenga, moradora do Jardim São Vicente, ex-secretária do Vamo que Vamo e fundadora da ADIPPNE.

A comunidade também marcou presença. Maria da Glória Oliveiro, mais conhecida como Dona Glória, moradora do Jardim Lapenna e atuante nas ações de mobilização desenvolvidas no território, afirmou: “É uma alegria e uma honra muito grande saber que nós tivemos por dez anos e teremos por muito mais tempo a Fundação Tide Setubal em nossas vidas. Porque, com ela, aprendemos que temos o direito de buscar nossos ideais e que, acima de tudo, somos cidadãos”.

O livro está disponível para downloads em http://www.ftas.org.br/downloads/publicacoes/2244.

Em 2017, a Fundação Tide Setubal realizará outros encontros de lançamento da publicação.