Notícias

Fundação Tide Setubal é parceira em programa de fortalecimento do empreendedorismo feminino


GALPãO | FORTALECIMENTO 18/05/2018

Por Carolina Nascimento

Na quarta-feira, 9 de maio, o Galpão de Cultura e Cidadania, equipamento da Fundação Tide Setubal em São Miguel Paulista, reuniu quase uma centena de mulheres vindas de diferentes lugares da zona leste, com um mesmo objetivo:  a qualificação profissional para seu desenvolvimento econômico. Na data, aconteceu o lançamento do programa Mulheres com Propósito,que visa estimular a participação feminina no mercado de trabalho e aumentar as oportunidades econômicas das mulheres. A iniciativa é uma realização conjunta da PepsiCo e do FUNDES Latin America em parceria com Agência de Desenvolvimento de São Paulo (ADESAMPA), Fundação Tide Setubal, Fundo Zona Leste Sustentável, Instituto SACI e Coletivo ABEBÉ.

“Nós acreditamos na agenda de impactar as comunidades em que estamos presentes, e neste sentido a parceria com a Fundação Tide Setubal contribuirá na construção de um modelo do programa para disseminar o programa em outras partes da cidade e do país”, afirma João Campos, presidente PepsiCo no Brasil.

Na cerimônia de lançamento, Maria Alice Setubal, presidente do conselho da Fundação Tide Setubal, comentou a sinergia da iniciativa com o histórico de atuação da organização. “O trabalho da Fundação Tide Setubal junto ao Fundo da Zona Leste já é uma aposta no empreendedorismo. Agora, fazer estas novas parcerias para a realização do projeto Mulheres de Propósito é uma forma de potencializar esta atuação, sobretudo das mulheres da região. A parceria ocorre em um momento muito importante para a Fundação, onde buscamos ampliar nosso trabalho e tornar o Galpão de Cultura e Cidadania um espaço de referência para o empreendedorismo na comunidade".

O programa oferece cursos gratuitos para mulheres que buscam aumentar sua renda, entrar no mercado de trabalho e ou ter seu próprio negócio. A iniciativa, que já existe em diversos países, agora chega ao Brasil com o objetivo de atingir cinco mil mulheres em cinco anos.A cidade escolhida para implementar as primeiras turmas foi São Paulo, e nela pretende-se formar 400 participantes.

“Temos o compromisso de desenvolver economicamente a cidade de São Paulo, com isso, acreditamos que o programa Mulheres com Propósito apresenta para elas uma possibilidade de empreender e aos poucos promover a transformação social em suas vidas, casas e cidades”, diz Martin Arango, presidente da ADESAMPA.

 “Nossa missão é fortalecer as micros e pequenas empresas na cadeia de trabalho das grandes e acreditamos que este programa viabilize isso. Tínhamos a expectativa de sair deste primeiro encontro com uma turma e já estamos com duas”, comemorou Sergio Mileto, coordenador do programa Mulheres com Propósito no Brasil pela FUNDES Latin America.

 

Empreendedorismo e combate às desigualdades

O Fundo Zona Leste Sustentável, citado por Maria Alice, é uma iniciativa que visa estimular empreendimentos inovadores. “Estamos em um momento de repensar o nosso modo de atuação, e o Mulheres com Propósito traz esses novos ares, que buscamos. Além disso, é muito importância essa parceria tanto com setor privado, quanto com setor público e outros organizações sociais para consolidar esse trabalho”, contou Greta Salvi, gestora do Fundo Zona Leste Sustentável.

Outra ação da Fundação Tide Setubal que visa a sustentabilidade local é a reforma e transformação do Galpão Cultura e Cidadania, do Jardim Lapenna em um espaço inovador de referência em empreendedorismo, geração de renda, cursos, oficinas e capacitações para a população da região de São Miguel. “Estamos com um novo enfoque às questões empreendedoras como um caminho para fortalecer o território. Já temos alguns exemplos de mulheres que passaram por formações de culinária aqui no Galpão e agora utilizam o espaço da cozinha como um coworking, pois com nossa estrutura elas conseguem atender pedidos com grandes demandas”, afirma Simone Silveira, que atua na gestão do Galpão de Cultura e Cidadania.

Mulheres com Propósito

Cristiane Lima, moradora do Jardim Lapenna, ficou feliz com o primeiro encontro. “O Galpão de Cultura e Cidadania é como a minha segunda casa, aqui aprendi confeitaria, bolos e doces, área em que eu trabalho hoje. Mas tenho dificuldades para vender os meus produtos, sei fazer, mas não sei vender. Por isso acho que o Mulheres com Propósito vai me ajudar com as questões do empreendedorismo”, afirma.

Já Eliana Amorin de Castro Zanão, também moradora do bairro, espera que o programa contribua também em outra questão. “Não era do ramo de alimentação, trabalhei por quase 10 anos em recursos humanos. Minha maior dificuldade é que às vezes tenho a oportunidade de vender para o café de alguma empresa, mas não posso porque não estou formalizada e não sei muito bem como fazer para que isso aconteça”, diz.