Notícias

As políticas públicas e a conexão com as experiências da Fundação Tide Setubal


@ACAOMACROPOLíTICA 26/02/2019

As experiências territoriais e o conhecimento produzido a partir delas podem ampliar seu poder de alcance se articuladas com o poder público com o objetivo de qualificar a formulação de políticas públicas que promovam a justiça social e enfrentem as desigualdades socioespaciais.Por isso, a Fundação Tide Setubal tem como uma de suas áreas de atuação estratégica o chamado círculo de Ação Macro Política (@AMP)

 

Clique aqui para saber mais sobre o círculo no relatório anual de 2017

 

Em 2019, o @AMP  tem nos seus planos atuar em três frentes:

 
 

Para fortalecer o exercício da cidadania é importante investigar a transparência do gasto público e a maneira como o orçamento é distribuído, especialmente nas regiões onde mais necessitam de investimento. A ação  “Orçamento Público para as Periferias” vem ao encontro desta preocupação. Handemba Mutana Poli, coordenador do @AMP conta que “compreender a distribuição do orçamento na cidade de São Paulo pode subsidiar o trabalho da Fundação e de outras organizações do terceiro setor para que possamos somar forças e, com essa informação, promover mudanças nas nossas áreas de atuação e pensar num orçamento territorializado”. Com isso, a expectativa é também de agir futuramente para influir numa melhor distribuição dos recursos via Lei Orçamentária.

 

 


Ao mesmo tempo, a experiência da criação do Plano de Bairro no Jardim Lapenna impulsionará a ação de “Participação Social” deste círculo. A partir desta construção coletiva, os participantes do Plano de Bairro criaram a  Frente de Apoio ao Planejamento Urbano Participativo. Como participante desta frente, a Fundação contribuirá para a interlocução desta com o poder público e o legislativo municipal para que as iniciativas tornem-se parte do orçamento público.

 

Leia aqui: Plano de Bairro inclui ações prioritárias no orçamento da cidade


Há também o Vozes Urbanas, espaço de reflexão sobre assuntos relevantes para o debate público. “Este ano iremos vocalizar uma das principais pesquisas da Fundação, que fala das desigualdades educacionais (conheça os planos do círculo @Conhecimento clicando aqui) e, em especial, as questões de gênero e raça relativas a elas. Queremos chamar as pessoas para esse debate e contribuir para as ações dos outros círculos” completa Handemba. Serão seis encontros ao longo do ano e um evento extra, dentro de outra organização, para promover ações de inclusão de gênero e raça num ambiente corporativo.

 

Baixe e leia o Caderno 2018 do Vozes Urbanas

 

Com isso, a Fundação Tide Setubal espera contribuir para o enfrentamento das desigualdades territoriais e que estas sejam objeto de ações efetivas de iniciativas da sociedade e de políticas públicas.