Notícias

Galpão ZL usa tecnologia para fortalecer o Jardim Lapena


PRáTICA DE DESENVOLVIMENTO | GALPãOZL 22/09/2020

Por Daniel Cerqueira / Foto: Torsten Detlaff (Pexels)

 

Ao longo dos últimos meses, as periferias buscaram soluções diversas para enfrentar as consequências da pandemia Covid-19. No Jardim Lapena, uma das iniciativas envolve tecnologia, empregabilidade e apoio ao comércio. Por meio de tríplice parceria entre a Fundação Tide Setubal, a Universidade Presbiteriana Mackenzie e o Instituto Aromeiazero, um robô de WhatsApp foi criado para informar a população sobre os casos de Covid-19 na região e, ao mesmo tempo, promover o comércio local.

Ivo Pons, professor e pesquisador da Mackenzie e fundador da Data Machina, que acabara de ser contemplada no edital da Agência São Paulo de Desenvolvimento (Ade Sampa), da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, para criar propostas tecnológicas de combate aos efeitos da pandemia, conta que “ocorreu uma sincronicidade entre a parceria da Fundação com a Universidade e o trabalho que a Data Machina realizaria. Havia duas premissas no projeto: melhorar o fluxo de informação para a população ficar atenta às questões da Covid-19 e, ao mesmo tempo, ativar os negócios nas periferias com algum nível de segurança.”

Com a intenção de fortalecer o comércio local, o Galpão ZL abraçou a proposta e conectou o Instituto Aromeiazero ao projeto por meio da campanha Delivery Justo, uma maneira de promover alternativas mais transparentes, dignas e sustentáveis para a crise da pandemia, além de valorizar o trabalho dos entregadores e entregadoras.

Marcelo Ribeiro, coordenador de  Prática Local da Fundação Tide Setubal, salienta que “a aproximação da tecnologia com o território é fundamental hoje em dia. A oportunidade de ter uma empresa que apoie o comércio local traz um potencial de ganho para a comunidade.”

Imagem do bot em funcionamento no WhatsApp enquanto interage com usuário


Atuação para resolver dois problemas

A parceria funciona, então, em duas frentes. De um lado, a Data Machina oferece à comunidade um robô que difunde as possibilidades locais de consumo de acordo com as necessidades de um morador. Pelo WhatsApp, a pessoa envia mensagem solicitando, por exemplo, farmácias que funcionam por 24 horas e o robô envia uma lista de estabelecimentos disponíveis na região e quais fazem entregas.

De outra parte, o Instituto formou 20 agentes locais para trabalharem como entregadores. Foram realizados seis encontros de uma hora por meio do YouTube, com temas como mecânica de bicicletas, ciclologística, atendimento ao cliente, como pedalar com segurança, rotas/GPS e gestão financeira. Cadu Ronca, diretor de projetos do Aromeiazero, ressalta que “neste momento de pandemia, a ciclologística ganhou importância para manter o distanciamento físico e o comércio ativado. A nossa atuação é para o uso da bicicleta como geração de renda, emprego e desenvolvimento de territórios periféricos”.

Já o Galpão ZL, além de articular as parcerias e promovê-las no Jardim Lapena, conseguiu também a doação de algumas bicicletas que serão usadas pelos entregadores e entregadoras do bairro. Para Andrelissa Ruiz, coordenadora de Prática Local da Fundação Tide Setubal, essa ação reforça o papel do Galpão no território. “O empreendedorismo é colocado também como apoio aos negócios locais. Essa ação atua em duas vertentes importantes para nós, fortalecendo o comércio e, ao mesmo tempo, empregando pessoas por meio das entregas.”