Enfrente

40 Anos do Quilombhoje | Letras Pretas

O Quilombhoje Literatura, grupo paulistano de escritores, foi fundado em 1980 por Cuti, Oswaldo de Camargo, Paulo Colina, Abelardo Rodrigues e outros com o objetivo de discutir e aprofundar a experiência afro-brasileira na literatura. O grupo tem como proposta incentivar o hábito da leitura e promover a difusão de conhecimentos e informações, bem como desenvolver e incentivar estudos, pesquisa e diagnósticos sobre literatura e cultura negra. No ano de 2017, o Quilombhoje completa 40 anos de história marcada por uma rica atuação voltada para a área editorial e de promoção da cultura negra. O painel propõe um encontro de histórias, autores, leitores e incentivadores da literatura negra.



Painelistas

Cuti é pseudônimo de Luiz Silva. Nasceu em Ourinhos (SP). Formou-se em Letras (Português-Francês) na USP, em 1980. É mestre em Teoria da Literatura (1999) e doutor em Literatura Brasileira (2005), pelo Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. Foi um dos fundadores e membro do Quilombhoje Literatura de 1983 a 1994 e um dos criadores e mantenedores dos “Cadernos Negros” de 1978 a 1993, série na qual publicou seus poemas e contos em 38 dos 39 volumes lançados até 2016. Tem também publicados diversos textos em outras antologias, incluindo ensaios. É autor dos livros “Kizomba de Vento e Nuvem”, de 2013, “Contos Escolhidos”, coletânea publicada em 2016, entre diversos outros. Esmeralda Ribeiro é jornalista, escritora e pesquisadora da literatura afro-brasileira. É integrante, desde 1982, do Quilombhoje Literatura, grupo de escritores afro-brasileiros sediado em São Paulo. Tem trabalhos publicados em 35 antologias no Brasil e no exterior. Sua atuação no sentido de incentivar a participação da mulher negra na literatura tem sido constante. Apesar de não ser uma das fundadoras da série “Cadernos Negros” ou do grupo Quilombhoje, há mais de 20 anos tem, juntamente com Márcio Barbosa, organizado e editado a série e coordenado o grupo, dois projetos que têm tido resultados gratificantes. Idealizou, junto com Vera Lúcia Barbosa, o Sarau Afro Mix, evento multimídia com minipalestra, roda de poesia e performance de dança. Também com Márcio, concebeu o Xirê de Palavra & Poesia Afro, com palestras sobre a literatura afro-brasileira e declamações de poemas destinadas a crianças e adolescentes de escolas públicas e particulares. É autora do livro “Malungos & Milongas” (conto) e coautora do livro “Gostando Mais de Nós Mesmos”, sobre autoestima e questão racial, entre outros. Márcio Barbosa nasceu em São Paulo (SP), onde reside atualmente. É pesquisador e um dos coordenadores do Quilombhoje. Fez as entrevistas e os textos do livro “Frente Negra Brasileira” e é um dos responsáveis pelo documentário e livro “Bailes – Soul, Samba-Rock, Hip Hop e Identidade em São Paulo”. Também, junto com Esmeralda Ribeiro e Niyi Afolabi, organizou os livros “Afro Brazilian Mind” e “Black Notebooks” (versão em inglês de “Cadernos Negros”), lançados nos Estados Unidos. Raquel Garcia nasceu em São Paulo. É professora de História da rede pública. A inquietação é o que move sua escrita. Desde 2009, publica seus textos em blog pessoal: akewipreta.blogspot.com.br. Também tem publicados seus textos em “Cadernos Negros”. Bruno Gabiru (mediador) nasceu dias após a soltura de Nelson Mandela, em fevereiro de 1990, em São Paulo, onde vive até o momento. É poeta, escritor, artista plástico e, atualmente, está cursando Artes Visuais. Gosta de garimpar constantemente títulos em sebos e livrarias espalhados pela cidade em busca de antigos(as) e novos(as) escritores(as) para se banhar no imenso rio da literatura negra, seja ela feita no Brasil ou na diáspora.