Enfrente

DO EMERGENCIAL AO LONGO PRAZO: PENSANDO A CIDADE PARA ALÉM DA PANDEMIA

O cenário Covid-19 escancarou as desigualdades nas grandes cidades. A perspectiva de que os desafios postos pela pandemia, como a sobrecarga dos sistemas de saúde, recessão econômica, alta do desemprego e a insegurança social, atingirá mais duramente populações já excluídas alertou a opinião pública e reavivou a solidariedade. Vimos um crescente número de iniciativas lançadas por empresas, organizações da sociedade civil e organizações locais para mitigar os efeitos do vírus nas populações mais vulneráveis. Em paralelo, a sociedade brasileira voltou sua atenção para as iniciativas governamentais, demandando que todas as esferas do poder público ofertem políticas públicas que garantam as condições mínimas para atravessarmos a crise.

A pandemia mostrou que a pauta das periferias está sempre viva e urgente. Apontou, sobretudo, para a urgência de repensar as cidades a partir de uma visão de longo-prazo. Em especial, esse debate objetiva avançar nessa discussão: quais as oportunidades reveladas pela crise para criar uma cidade mais resiliente no futuro?

Realização: Rede Nossa São Paulo e Fundação Tide Setubal

Debatem o tema:

Neca Setubal, socióloga, doutora em Psicologia da Educação pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e mestre em Ciência Política pela USP (Universidade de São Paulo. Autora de diversos livros e artigos para revistas e jornais. Foi Coordenadora de Educação para América Latina e Caribe pelo Unicef. Participação nos seguintes conselhos: Conselho da Aliança pelos Investimentos e Negócios de Impacto, Conselho do Family Office, Conselho Fundação Itaú para Educação e Cultura, Conselho Consultivo USP – Universidade de São Paulo, Conselho IDEA – Instituto Estudos Avançados UNICAMP, Conselho Consultivo OPENSOCIETY para América Latina. Foi presidente do Conselho de Administração do CENPEC (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária). Atualmente é presidente do Conselho de Administração Fundação Tide Setubal e do GIFE (Grupo de Institutos Fundações e Empresas)



Jorge Abrahão: É Coordenador Geral do Instituto Cidades Sustentáveis, entidade organizadora da Rede Nossa São Paulo e do Programa Cidades Sustentáveis. É membro da Comissão Estadual de São Paulo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e do Conselho do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. É professor do MBA do LARC da Escola Politécnica da Universidade de Sao Paulo e colunista do jornal Folha de São Paulo. Foi conselheiro do Global Compact da Organização das Nações Unidas- ONU (2012 a 2018), membro do CDES- Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (2014-2018), da Comissão Nacional para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável- CNODS (2017-2019) e Presidente do Instituto Ethos (2010-2016).

Evaniza Rodrigues: Possui graduação em Graduação em Serviço Social pela Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo (1990) e Mestrado em Arquitetura e Urbanismo na
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Atua nos
movimentos populares de moradia. Tem experiência na área de Serviço Social, com
ênfase em Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: direito a
moradia, autogestão na habitação, direito á cidade, participação social e produção
social da moradia. Foi consultora de dirigente da Caixa Econômica Federal e chefe de
gabinete da Secretaria de Programas Urbanos do Ministério das Cidades.

Vagner de Alencar: Jornalista graduado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, mestre e doutorando em Educação pela PUC-SP. É autor do livro "Cidade do Paraíso - Há vida na maior favela de São Paulo" e cofundador e diretor de jornalismo da Agência Mural de Jornalismo das Periferias.