Fundação Tide Setubal
Imagem do cabeçalho
Imagem do cabeçalho

Confira as iniciativas selecionadas na nova onda do Matchfunding Enfrente

@Comunicacao

23 de outubro de 2020
Compartilhar:

Por Amauri Eugênio Jr.

A nova onda do edital colaborativo Matchfunding Enfrente, organizado pela Fundação Tide Setubal em parceria com a Benfeitoria, tem escolhidas as 15 iniciativas com planejamento desenvolvido para três anos. Esses projetos poderão captar, anualmente, R$ 90 mil reais – R$ 30 mil por meio de financiamento coletivo e R$ 60 mil a partir do Fundo Enfrente.

 

Conheça a seguir as iniciativas escolhidas:

 

 

Adote um Canteiro – Horticultura e Sustentabilidade Comunitária, do Instituto de Desenvolvimento Evangélico (MS)

 

O projeto fomentará a prática agroecológica de horticultura periurbana para enfrentar a insegurança alimentar agravada durante a pandemia. Isso acontecerá por meio da promoção de novos hábitos alimentares e condições de acesso a alimentos como frutas, verduras e legumes, produzidos com regularidade e em quantidades suficientes para cada família.

 

 

AfroAporte – Apoio a Empreendedores Negr@s, do Instituto Cultural Steve Biko (BA)

 

A iniciativa apoiará empreendedores negros no desenvolvimento de ações econômicas dentro de contexto hierarquizado do ponto de vista racial e de gênero. O projeto é materializado por meio de três produtos: uma plataforma digital que dará visibilidade aos negócios dos empreendedoras(es) negras(os); uma trilha formativa que visa capacitá-los; e estruturação de redes formadas por elas(es).

 

 

Casa AfroLatinas – Ambiente Cibercultural, do Instituto Afrolatinas (DF)

 

O projeto consiste na criação de um ambiente cibercultural e referência, para promover na comunidade do Varjão (DF) um espaço de operações tecnológicas, informação e inteligência.

 

 

Colonus: Agricultura Sustentável da Amazônia (AC)

 

A iniciativa desenvolverá um aplicativo que conectará produtores rurais e moradores de Rio Branco e arredores, melhorando a conexão na compra e venda de produtos orgânicos, além de fornecer alimentos de qualidade e promover melhorias na saúde das pessoas impactadas.

 

 

Educação Financeira Contra o Racismo, do NoFront Empoderamento Financeiro (SP)

 

O projeto proporcionará o fortalecimento institucional e a construção de redes colaborativas transnacionais para difusão do conhecimento em economia nas periferias. O foco é também expandir a oferta de conteúdos educativos e consolidar redes necessárias para a fundação de uma organização da sociedade civil (OSC) voltada à disseminação da educação financeira no ensino público.

 

 

Guia dos Subúrbios Cariocas – Mapeamento Cultural, do Fluxos Urbanos (RJ)

 

O objetivo é desenvolver mapeamento descritivo e georreferenciado sobre as mobilizações suburbanas, de forma sistematizada, com dados sobre o poder de mobilização dos subúrbios cariocas e seus impactos. Isso visa estimular o fortalecimento das redes locais e atrair a atenção do poder governamental e da iniciativa privada ao desenvolvimento sustentável da região.

 

 

Inclusão Socioeconômica dos Catadores de Rua de Salvador, da Federação das Cooperativas de Catadores do Estado da Bahia (BA)

 

A iniciativa organizará social e economicamente os catadores de rua de Salvador, ao dignificar as condições de trabalho, aumentar a renda e melhorar a qualidade ambiental urbana dessa região. Serão criados ecopontos móveis de coleta, auxílio aos catadores na abertura de contas digitais e formação de novas lideranças por meio de diálogos de rua que se apropriam da tecnologia para ampliar a iniciativa.

 

 

Jovens Hackers, do Jovens Hackers (SP)

 

O projeto visa capacitar jovens das periferias em áreas da tecnologia, para inserção no mercado de trabalho e poderem executar a função de multiplicadores, ao ensinar e incentivar crianças a seguir o mesmo caminho.

 

 

LabJaca – Ressignificando Trajetórias e Narrativas, da LabJaca (RJ)

 

A missão da iniciativa é produzir dados que representem as reais demandas dos moradores do Jacarezinho para possibilitar a potencialização do território, ao gerar impacto social na busca por qualidade de vida.

 

 

Nanocrédito e Microcrédito para Contextos Periféricos, do Banco Comunitário do Preventório (RJ)

 

A ação fortalecerá as ações de nano/microcrédito solidário, fortalecer a resiliência econômica e social dessas populações, que têm dificuldade de acesso ao sistema financeiro tradicional, em especial ao crédito – essa situação foi agravada pela pandemia de Covid-19.

 

 

Preparando o Novo Futuro – Educação na Mão da Periferia, da Associação PIPA (SP)

 

A iniciativa oferecerá tutoria e preparação de 600 adolescentes da Brasilândia por meio de aulas semipresenciais, reduzindo a desigualdade de oportunidades. Será criada infraestrutura com wi-fi comunitário – servidor próprio que não utiliza dados móveis – e ambiente virtual, com tutoria e ensino semipresencial para os adolescentes do território, ao garantir acesso e acompanhamento.

 

 

Pretos que Voam! – Jovens Pretos Periféricos Comissários de Voo, do Coletivo Quilombo Aéreo (RS)

 

O projeto transformará jovens pretos periféricos em comissários de voo, ao diminuir a desigualdade racial a bordo das aeronaves brasileiras e permitir que pessoas pretas da periferia se tornem comissárias de voo, vejam o mundo e levem suas famílias consigo para viver outros sonhos.

 

 

Rede Iaô de Economia Criativa, da Associação Fábrica Cultural (BA)

 

A iniciativa promoverá a qualificação de microempreendedores individuais e/ou não formais, no contexto da periferia, divulgação e acompanhamento de seus negócios da economia criativa da Península de Itapagipe, na periferia de Salvador.

 

 

Sebo do Gueto – Uma Livraria em Cada Periferia (PA)

 

O objetivo é a criação de mais 35 sebos em periferias de cidades diferentes ao longo de três anos. Além disso, a iniciativa pretende desenvolver um aplicativo de vendas com integração à plataforma de distribuição gratuita de livros já existente – o Clube do Gueto.

 

 

Tecnogueto – Periferia no Mercado de Trabalho Tecnológico, do CRIA – Tecnogueto (RJ)

 

A iniciativa desenvolverá uma plataforma de ensino a distância de tecnologia. Trata-se de uma escola que será a ponte para inserir pessoas da periferia no mercado de trabalho tecnológico.


Compartilhar:

Notícias relacionadas

Nós utilizamos cookies para melhorar a experiência de usuários e usuárias que navegam por nosso site.
Ao clicar em "Aceitar todos os cookies", você estará concordando com esse armazenamento no seu dispositivo.
Para conferir como cuidamos de seus dados e privacidade, acesse a nossa Política de Privacidade.